ABALONE

 Abalone é um molusco de concha achatada com formato arredondado ou ovalado, que possui uma sequência de poros que varia entre 2 e 9 furos distribuídos ao longo de sua borda externa. Devido a esse formato peculiar, os abalones recebem o apelido de “orelhas do mar”. Os moluscos abalones do mar se transformam em mercadoria, para fins de decoração, casa, joias e outros artefatos altamente rentáveis.


 

ÁGATA

Ágata é uma variedade de calcedônia, uma forma criptocristalina de quartzo. Translucidez, padrões de cor ou inclusões semelhantes a um musgo podem distinguir esta pedra de outras formas de calcedônia. As ágatas podem mostrar uma grande variedade de cores vivas e múltiplas, onde estes são principalmente o resultado de vestígios de óxidos de ferro, manganês, titânio, cromo, níquel e outros elementos. Todas as ágatas recebem um polimento maravilhoso e são resistentes o suficiente para a maioria dos usos de joias. Os designers costumam aproveitar os padrões intrigantes que essas pedras oferecem para criar peças únicas e fascinantes.


 

ÁGUA MARINHA

Com o nome da cor da água do mar, a água-marinha é o membro azul a azul esverdeado da família dos berilos. Prontamente disponível e com preços moderados. Nas culturas ocidentais, pela cor e nome de água-marinha, esta gema tem um folclore fortemente ligado ao mar. Seu alcance místico tradicionalmente inclui proteção para marinheiros e pescadores, bem como viajantes em geral.


 

ALEXANDRITA

Alexandrita é bem conhecida por exibir uma das mais notáveis ​​mudanças de cor no mundo das gemas – verde à luz do sol e vermelho à luz incandescente. Essa variedade de crisoberilo com qualidade de gema é uma excelente pedra de joalheria. Os principais fatores de valor são: Quanto mais próximas as cores do verde e vermelho puros, maior o valor. E quanto mais distinta a mudança de cor, maior o valor A clareza também desempenha um papel significativo na classificação. Como é o caso da maioria das gemas, a alexandrita que ocorre naturalmente não é um material limpo e facetavel.


ÂMBAR

O âmbar é de origem vegetal pois se trata de uma resina endurecida formada há 30 milhões de anos por um pinheiro. Esta substância orgânica é mais conhecida pelas incríveis inclusões de insetos que podem ser encontradas dentro dela.  Os valores mais altos vão para aquelas peças com inclusões de insetos claramente visíveis , cores claras e clareza. Pedaços de âmbar muito grandes são extremamente raros, material de boa qualidade raramente é usado para qualquer coisa além de joias.


AMENTISTA

A ametista é um quartzo cristalino em cores que variam do lilás pálido ao roxo avermelhado profundo. O valor das ametistas depende quase inteiramente da cor. As minas siberianas já produziram as melhores pedras do mundo. Eles apresentavam uma cor roxa particularmente rica que brilhava com flashes vermelhos e azuis. 


AMMOLITE

A ammolite é um material raro, incandescente e com qualidade de gema, cortado das conchas fossilizadas de criaturas marinhas extintas conhecidas como amonites. Encontrado apenas na Formação Bearpaw em Alberta, Canadá, esta pedra preciosa orgânica tem uma gama deslumbrante de cores e padrões altamente desejada para cabochões naturais , forma livre e peças de joalheria montadas. Em 1981, a ammolite recebeu o status oficial de pedra preciosa pela Confederação Mundial de Joalheria (CIBJO), no mesmo ano começou a mineração comercial de amolite.


APATITA

Apatita é um grupo mineral inserido nos fosfatos, predominantemente compostos por fosfato de cálcio (mas podendo apresentar teores significativos de flúor, cloro e hidróxido). As apatitas são alguns dos principais minerais acessórios em diversos tipos de rocha, sejam essas ígneas, metamórficas ou sedimentares. Embora muito quebradiças para a maioria das joias, as gemas de apatita cortadas corretamente são verdadeiramente magníficas. Como as apatitas são pedras relativamente macias, lapidadores habilidosos podem agregar valor com polimentos excepcionais.

 


BERÍLIO

A família berilo inclui algumas das pedras preciosas mais populares e caras. A esmeralda e a água-marinha são escolhas bem conhecidas e populares para joias, enquanto o berilo vermelho é uma das gemas mais raras e caras. Os berilos podem variar de incolores a pretos, e os cristais podem variar em tamanho de quilates simples a exemplos extremamente grandes e perfeitos exibidos em museus.


CALCEDÔNIA

A maior parte da calcedônia é uma mistura de quartzo microcristalino ou criptocristalino e moganita. (Alguns exemplares deste material estão livres de moganita). Na prática comum, apenas os tipos translúcidos e de cor única deste material são vendidos sob o nome de “calcedônia”. Os pontos gerais de alto valor para todas as calcedônias seriam uma forte saturação de cor e alta translucidez. As cores das calcedônias são resultado de impurezas metálicas (como ferro, níquel, cobre e titânio) presentes durante a cristalização, o material não manchado é geralmente azul acinzentado. A calcedônia é uma pedra preciosa resistente, boa para todas as aplicações de joias. 

 


CITRINO

Citrino é a variedade de quartzo cristalino amarelo a vermelho-alaranjado. É uma pedra preciosa de baixo preço, mais barata que a ametista, mas, mesmo assim, muito apreciada e muito usada em joalheria. O Brasil e a Escócia são os maiores produtores mundiais de citrino. A grande maioria do citrino no mercado é produzida pelo aquecimento de quartzo fumê (que produz amarelos claros a médios) e ametista (que produz amarelos mais fortes e tons de vermelho alaranjado a marrom alaranjado). As pedras naturais geralmente ocorrem em cores amarelo pálido, muitas vezes com tons esfumaçados.


CORAL

Os corais são minúsculos pólipos marinhos – organismos sem espinha com um corpo mole e um esqueleto externo feito de carbonato de cálcio. Os crescimentos de coral vêm em muitas formas. O coral comumente é usado para fazer gemas ramificadas e em forma de árvore. As maiores seções do tronco de um coral são usadas para esculturas, que podem ser bastante valiosas. Os valores de coral são baseados em matiz, saturação, tamanho, corte e polimento, onde os valores mais altos para coral calcário vão para peças vermelhas, rosa e laranja.


CORNALINA

 É um mineral vermelho acastanhado comumente usados como uma pedra preciosa ou semipreciosa. Tal pedra tem variedades do calcedônio mineral de sílica colorida por impurezas de óxido de ferro. A cor pode variar muito, desde laranja pálido a uma intensa coloração quase preta. É comumente encontrada no Brasil, Índia, Rússia (Sibéria) e Alemanha.

 


CORINDO

O coríndon é um mineral de óxido de alumínio conhecido pela sua dureza (9, mineral índice da escala Mohs) e pelo seu brilho intenso. Devido a essas características, é muito utilizado como gema em suas diferentes variedades O corindon de coloração vermelha é chamado de rubi, o de coloração azul é chamado de safira É também o segundo mineral natural mais duro depois do diamante. O corindo com qualidade de gema também é bastante raro.

 


DENDRITA

É um tipo de cristal com aparência semelhante à de uma árvore, com ramificações que se repetem. Esta formação se deu em milhares de anos, e que torna a pedra raríssima podemos encontrar dendritas em diversos minerais como opala, quartzo rosa, calcitas, porém o mais comum é no cristal onde torna a pedra mais cara devido a cristalização do quartzo mostrando toda a nitidez da dendrita.


DIAMANTE

O diamante, também chamado de gema, é uma pedra preciosa formada por átomos puros de carbono em condições de cristalização. Trata-se do mais duro material de ocorrência natural que se conhece. Pode ser encontrado em toda superfície da Terra e possui alto valor de mercado, sendo considerado uma das mais valiosas pedras preciosas. Para ser comercializada a pedra deve passar por um processo que inclui lapidação e avaliação de suas características. O diamante é a pedra mais valorizada no comércio de pedras preciosas e sua gema é utilizada para a confecção de joias de luxo.


ESMERALDA

A esmeralda é a variedade mais nobre do mineral berilo. Sua cor verde pode variar de tons mais claros para os mais escuros, e é resultado da composição formada por quantidades variáveis de crômio, ferro e vanádio. Seu preço por quilate é elevado e por isso é considerada uma das pedras mais valiosas e desejadas do mundo.  Há jazidas de esmeraldas espalhadas ao redor do mundo, mas esmeraldas colombianas comandam preços premium.  São muito valorizadas pela sua alta transparência e sua tonalidade verde clara, aspectos exclusivos que se devem à sua origem. Descobertas recentes na Etiópia também podem comandar preços premium.


ESPINELIO

Trata-se de uma gema que pertence e constituem um grupo de minerais que cristalizam. Ele foi numerosas vezes qualificado de impostor pois ele estaria presente nas mesmas jazidas que o rubi e a safira e frequentemente foi confundido com estas gemas. Encontrado onde existe rubis e safiras. Na Birmânia, no Sri Lanka, no Afeganistão, no Tadjiquistão, Austrália, Brasil,  Estados Unidos (Nova Jersey), em Madagascar, Nepal,  Nigéria, Tanzânia e Tailândia.


GRANADA

A granada é o nome geral dos membros de um grupo de minerais com formação cristalina. As diversas variedades de granada podem incorporar diversos elementos químicos na sua estrutura, principalmente cálcio, magnésio, alumínio, ferro2+, ferro3+, cromo, manganês e titânio. A granada é uma gema que pode ter várias cores, exceto azul. Os tons rubros vão desde a framboesa ao vermelho cor de sangue. Já os tons de verde são equivalentes aos das esmeraldas, existindo ainda granadas em tonalidades de amarelo, laranja e castanho. Os principais centros de extração de granadas são a África do Sul, o Sri Lanka, Madagascar, Brasil, índia e Austrália


IOLITE/ IOLITA

Esta pedra, que representa uma das poucas opções de pedra azul relativamente disponíveis e acessíveis, está rapidamente ganhando popularidade. Sua dureza de 7-7,5 a torna uma pedra de joalheria adequada, embora a presença de clivagem deva ser levada em consideração e alguns cuidados tomados. A maior parte da iolita no comércio mundial vem da Índia, mas quantidades substanciais também são extraídas na Tanzânia, Brasil e Sri Lanka.

 


JADEITE

Um dos dois minerais distintos comumente conhecidos como jade, a jadeite é a variedade mais rara e mais dura. A rica jadeite verde-esmeralda, conhecida como “jade imperial”, também é a mais valorizada. No entanto, a jadeite durável pode ser encontrada em várias cores e é adequada para esculturas intrincadas e cabochões. A jadeite é uma pedra preciosa muito especializada, e avaliar essas peças é complicado. Seu apelo é amplamente baseado em colecionadores. A melhor jadeite é originária de Mianmar- Estados Unidos.

 


JASPE

Jaspe é uma variedade opaca, sólida ou padronizada de quartzo criptocristalino que consiste em cristais de quartzo muito pequenos coloridos por várias impurezas minerais. Os nomes de vários jaspe pode vir de sua cor:  vermelha, amarela ou variada. O uso de joias de jaspes remonta ao início da história da civilização, várias formas desse material também são frequentemente transformadas em objetos decorativos, como cinzeiros ou suportes para livros. Jaspers são encontrados em todo o mundo, com certas cores ou padrões exclusivos de locais específicos. A maioria das pedras de sangue vem da Índia.


LABRADORITA

De todos os feldspatos, é tão frequentemente encontrado como uma gema facetada o seu material varia em cor de incolor a amarelo, mas inclusões de minerais como hematita e cobre criam uma ampla gama de outras cores de carroceria. Estes são mais conhecidos de localidades em Oregon- Estados Unidos. A labradorita facetada é uma pedra de joalheria bonita, embora incomum. É tão duro quanto a pedra da lua ou qualquer outro feldspato que é usado regularmente em joias.

 


LÁPIS-LAZÚLI

O lápis-lazúli tem sido usado desde os tempos antigos e continua popular hoje. Esta pedra preciosa foi valorizada por sua cor azul brilhante e usada para incrustações, bem como para pigmentos de cosméticos e pinturas. Seu contraste e apelo visual são irresistíveis. Hoje, a joalheria usa esta pedra predominantemente. O valor do lápis-lazúli é determinado quase exclusivamente pela cor, o seu azul profundo e intenso, com tons violáceos estaria no ápice. As inclusões de calcita quase sempre diminuem o valor, mas as inclusões de pirita o aumentam na mente de muitos colecionadores e amantes de joias. 


LAZULITA

É um mineral fosfato azul contendo fosfato de magnésio, ferro e alumínio. A lazulita é uma magnífica pedra preciosa de um azul profundo. As amostras são apreciadas por colecionadores, mas também podem ser lapidadas com cuidado ou cortadas em cabochões para joalheria. Embora a dureza da lazulita de 5,5 a 6 a torne uma escolha marginal para uso em joias, os lapidários cortaram cabines de material maciço, como o encontrado em New Hampshire ou na Califórnia. Pedras limpas com mais de 5 quilates são extremamente raras. Mesmo pequenas gemas tendem a ser extremamente incluídas, tornando as lazulitas suscetíveis a fraturas durante o corte.


MORGANITA

Membro da família do berilo, a morganita apresenta uma gama de cores rosa. Recentemente, esta pedra preciosa viu um aumento em popularidade e valor. Como a maioria dos berilos , a morganita é uma excelente pedra para joias, tem dureza e durabilidade para uso diário em qualquer tipo de joia. Embora violeta e pêssego sejam possíveis cores de morganita, a cor mais comum para esta pedra é a rosa. A Morganita rosa é encontrada no Brasil, Tailândia, Madagascar África e Estados Unidos.


OBSIDIANA

Formada pelo vulcanismo, a obsidiana é considerada uma rocha constituída quase integralmente por um tipo de vidro vulcânico. Geralmente ocorre em pedaços grandes, e os lapidários frequentemente os cortam em cabochões, miçangas e esculturas. Peças facetadas tendem a parecer escuras, exceto quando cortadas em tamanhos pequenos e estas gemas podem fazer delicadas pedras de joias. Geralmente escura, a cor na obsidiana é produzida por elementos que se juntam na sua formação, magnésio e ferro para a castanha e negra, bolhas de gás geram as douradas, cristais brancos as flocos-de-neve e magnetitas as arco-íris.


OLHO DE TIGRE

O Olho de Tigre é um mineral de coloração dourado para avermelhado-marrom com brilho sedoso, possui inclusões de amianto em quartzo e isso traz o resultado de listras no mineral. O Olho de Tigre é uma gema muito utilizada em decoração e em joalheria, e normalmente é lapidada na forma cabochão (lapidação sem ângulo ou fase) oval ou redondo.  

 


ÔNIX

Ônix é um tipo de calcedônia, que é em si uma forma de quartzo microcristalino. Os ônix têm faixas ou camadas de cor retas e quase paralelas, que permitem que escultores de gemas habilidoso corte o material para criar camafeus e entalhes com profundidade e contraste extraordinários. Embora os ônix possam ocorrer com faixas de várias cores, as camadas brancas e pretas são as mais familiares. 


OPALA

 Opala é tão única que possui seu próprio vocabulário descritivo. Mais do que qualquer outra gema, cada opala é distintamente individual. As opalas também são as gemas mais delicadas, comumente usadas e onde requer cuidados especiais. A opala pode ser branca, incolor, azul-leitosa, cinza, vermelha, amarela, verde, marrom e preta. Frequentemente muitas dessas cores podem ser vistas simultaneamente, em decorrência de interferência e difração da luz que passa por aberturas regularmente arranjadas dentro da microestrutura da opala, fenômeno conhecido como jogo de cores.


PEDRA DA LUA

Pedra da lua é um silicato de sódio, potássio e alumínio ((Na, K) AlSi3O8) do grupo do feldspato que exibe um perolado. O cristal é chamado dessa maneira pela aparência que ele tem. Com um aspecto translúcido, na pedra branca apresenta um brilho interior, normalmente azulado. Por se assemelhar ao brilho da Lua, foi nomeada como pedra-da-lua.

 


PIRITA

Pirita ou pirite também pirite de ferro ou pirita de ferro é um dissulfeto de ferro, (FeS2). Tem os cristais isométricos que aparecem geralmente como cubos. É mais comumente conhecida como ouro dos tolos e é familiar para quase todos os colecionadores de minerais. Usado há séculos tanto em joalheria quanto como minério de ferro seu material é muito frágil e sensível ao calor e requer alguns cuidados no corte.


PERIDOTO

É uma pedra semipreciosa verde, sendo uma variedade de olivina. Faz parte do sistema de cristal ortorrômbico e tem brilho vítreo.  O peridoto é rico em magnésio e possui um teor de ferro que confere à gema sua coloração verde. Os tons de Peridot variam do verde-amarelo ao verde oliva e verde escuro. A maioria dos peridotos normalmente não recebe tratamentos, alguns são cortados podendo ser laminados para melhorar sua estabilidade e cor, como o vidro facetado. O peridoto tem sido valorizado como uma pedra de joalheria desde os tempos antigos. Com sua cor sempre verde,com variações consideráveis, a tonalidade particular de um peridoto depende de sua origem. Nas minas de San Carlos, no Arizona - Estados Unidos são atualmente o principal produtor desta gema.

 


QUARTZO

O quartzo é um dos minerais mais comuns na terra.  É muito apreciado como ametista, citrino, rosa e quartzo fumê. Existem muitas outras variedades naturais, além de quartzo sintético que vem em todas as cores do arco-íris. As formações dos quartzos fazem parte de um processo geológico que pode levar milhares de anos. As pedras de quartzo são compostas principalmente de Dióxido de Silício (SiO2), estando presente em todos os tipos de formações rochosas do planeta, sejam ígneas, metamórficas ou sedimentares. Outra característica típica dos cristais de quartzo é a sua diversidade de cores.


RUBELITA

Rubelitas são turmalinas com cores rosa escuro a vermelho razoavelmente saturadas e tons médios a escuros. Eles fazem excelentes pedras de joalheria, e espécimes de cor vermelho-rubi sem tons alaranjados ou marrons são altamente valorizados.  Vale ressaltar que o nome rubelita vem do latim rubellus e significa, justamente, avermelhado. As rubelitas têm dureza de 7 a 7,5 e não têm clivagem , portanto, facetadas ou guarnecidas, são boas pedras para qualquer tipo de joalheria. Os lapidários também podem esculpi-los.


RUBI

Uma das pedras de joalheria tradicionais mais populares, o rubi é excepcionalmente durável. As cores da pedra, sempre vermelha podem atingir níveis vívidos de saturação. Rubis de alta qualidade são algumas das pedras preciosas mais caras, com preços recordes por quilate. No entanto, os rubis também são submetidos a mais tratamentos do que quase qualquer outra gema. O rubi é minerado na África, Ásia e na Austrália. Eles são mais comuns em Myanmar, no Sri Lanka e na Tailândia, porém também são encontrados em Montana e na Carolina do Sul nos Estados Unidos e Moçambique em África. 


SAFIRA

É uma variedade da forma monocristalina de óxido de alumínio, (Al2O3), um mineral chamado coríndon. Pode ser encontrada na natureza sob a forma de gemas ou produzida de forma sintética para uma infinidade de aplicações. As cores azuis puras e a excelente durabilidade fazem uma pedra preciosa excepcional. No entanto, nem todas as safiras são azuis. Podendo ser incolor (safira branca), azul (devida, em parte, ao ferro), púrpura, dourada ou rósea, entre outras. As cores devem-se à presença de cobalto, crômio, titânio ou ferro. Quando a cor não é especificada, o termo safira refere-se à variedade azul. As safiras cor-de-rosa, amarelas, verdes, brancas e multicoloridas são frequentemente menos valorizadas do que a variedade azul de mesma qualidade e tamanho. 


TANZANITA

Uma das grandes principais características desta gema é a propriedade de pleocroísmo, que fornece a mudança de cores à medida que o cristal é visto de diferentes perspectivas. A Tanzanita é relativamente rara e cara, isso porque é encontrada apenas em um lugar, as Colinas Merelani, na Tanzânia, na África Oriental. Na luz natural, as tanzanitas podem parecer um azul quase safira. Na luz fluorescente, eles podem parecer mais violeta ou ametista. Em geral, as tanzanitas que apresentam mais azul são mais valorizadas do que aquelas que apresentam mais violeta. Cores escuras médias são as ideais. 


TURMALINA

Turmalina é um nome aplicado a uma família de minerais relacionados com propriedades amplamente variadas. É uma pedra formada principalmente por ferro, sódio, magnésio, cálcio e lítio. Ela é encontrada em nosso país e em muitos outros, como Paquistão, Nigéria, Moçambique, Madagascar, Afeganistão e Tanzânia. As turmalinas podem ter diversas cores, mas as pretas são mais comuns. Também podem ser encontradas em rosa, verde, amarelo, vermelho e azul — em casos mais raros.


TURMALINA PARAÍBA

Em 1989, turmalinas excepcionalmente coloridas foram descobertas no estado da Paraíba, Brasil, estando entre as pedras preciosas mais valorizadas do mundo. Os pesquisadores determinaram que essas turmalinas de cores azuis intensas receberam sua coloração do cobre. Atualmente, as paraíbas com maior valor possuem cores azul neon com forte saturação e tom médio. Muitas dessas gemas também têm uma tonalidade verde secundária. Tons secundários de verde leve não afetarão os preços, mas tons mais fortes sim. As paraíbas azul-esverdeadas e verdes costumam ter menos valor do que as pedras azuis mais puras.


TURQUESA

Quimicamente, a turquesa é um fosfato de cobre/alumínio hidratado de estrutura criptocristalina agregada. Com cores impressionantes de azul celeste a azul esverdeado, a turquesa é valorizada por culturas de todo o mundo há mais de 5.000 anos. Geralmente, tons mais escuros e menos tons de verde nas cores azuis agregam mais valor às turquesas.


TOPÁZIO

Uma das pedras preciosas mais tradicionais, o topázio, é um mineral prismático que pode ser encontrado em cores diferenciadas, como marrom, vermelho, transparente e, principalmente, azul. Embora a clareza e o tamanho tenham um efeito significativo no valor do topázio, a cor tem o maior impacto no preço. Os valores mais altos vão para as raras pedras rosa e vermelhas, depois laranja e amarela. O topázio laranja avermelhado intenso às vezes é chamado de “topázio imperial”. Pedras amarelas, laranja e marrons são um tanto comuns. Topázios incolores são comuns e são gemas de baixo valor em qualquer tamanho.